Deputado José Domingos diz que chorou ao ser filmado e fala em ‘armação premeditada’

0 Flares Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

O deputado estadual José Domingos Fraga (PSD) afirmou que o vídeo em que aparece recebendo um suposto “mensalinho” no Palácio Paiaguás não passa de uma “armação totalmente premeditada” do ex-governador Silval Barbosa (PMDB). Ele confirma que recebeu dinheiro, mas garante que o pagamento foi legal e que até “chorou” por contas das acusações. “Eu chorei, porque tive a felicidade de ser prefeito por 12 anos. Estou no meu terceiro mandato de deputado e durante toda minha vida pública nunca fui alvo de uma armação como esta”, afirmou.

O vídeo faz parte da delação premiada do ex-governador, firmada com a Procuradoria-Geral da República e homologada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, no dia 9 de agosto. Nas imagens, o parlamentar aparece de frente para o deputado federal Ezequiel Fonseca (PP), contando dinheiro e o acomodando em uma caixa de papelão. Em seguida, ele coloca a caixa debaixo do braço.

Segundo o deputado, tudo não passou de uma “armadilha” criada pelo ex-governador e seu chefe de gabinete à época, Silvio Cesar Correa, em uma tentativa de “socializar” os prejuízos que os esquemas executados por eles teriam causado ao Estado. “Foi uma armação totalmente premeditada, quem sabe até pensando em uma possível delação futura, até para poder socializar os prejuízos causados ao Estado e propuseram fazer essa armadilha que não só eu cai, como homens e mulheres de bem, que nunca passaram um vexame desse tamanho”, disse.

Ainda segundo Fraga, Silval se aproveitou de que teria que repassar um auxílio aos deputados para quitar dívidas de campanha e fazer caixa para campanha eleitoral futura, como já havia sido previamente acordado, e fez o vídeo. “Nós fomos convidados para uma reunião, até porque havia o entendimento que ele deveria ajudar os deputados no passado de campanha e problema futuro em função da eleição que estava avizinhando já. Após a reunião, me convidou para que eu entrasse na sala do Silvio, que eu nunca tinha entrado na sala do Silvio, e entrei como outros entraram”, conta.

Fraga alega ainda que os recursos eram legais. “De fato, os recursos eram conforme negociado para campanha e tenho certeza que estão declarados na minha prestação de contas esse recurso financeiro em espécie”.

Já sobre a acusação de que teria, junto com o deputado Silvano Amaral (PMDB), extorquido Silval para aprovarem as contas do seu último ano de governo, Fraga afirma que isso nunca ocorreu.

Ele diz que não participou da comissão que analisava as contas e, muito menos, votou por sua aprovação. “Eu nunca sentei com o governador para discutir possível 13º, para aprovação de contas, seja governo Blairo, Silval e Pedro Taques. Até porque na conta do Silval, eu nem votei. Não participei da discussão na comissão, não participei da discussão no plenário”, afirmou.

Além de se defender, Fraga lamentou todo o ocorrido e afirmou que vai tomar providencias quanto à delação. “Estou aguardando a delação e seus anexos, juntamente com minha assessoria jurídica, para tomar as providências necessárias”, encerrou.

Fonte: Só Notícias/Gazeta Digital (reprodução)

0 Flares Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×